terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Não há como lhe dar a volta

Cheguei tarde, vinda de uma reunião que parecia não ter fim à vista.
Para protelar o regresso à casa vazia, e antecipando um serão televisivo dominado por uma Ronaldite aguda, optei por fazer uma incursão pelo centro comercial mais próximo que, tal como imaginava, estava às moscas. Mas agora, ao dar uma vista de olhos pelos postes mais recentes em vários blogues, não consigo fugir ao facto do gajo ser realmente muito bom a fazer fintas.

2 comentários:

poeta do penedo disse...

Eu, que tenho sido um amante da selecção nacional,estranhamente o acontecimento nada me disse. Talvez por sentir em quantos problemas todos estamos mergulhados, e aquilo apenas se tratar de «um gajo» que é o melhor do mundo a fazer fintas e dar pontapés na bola, porque o futebol resume-se a isso e nada mais. E por saber que neste momento difícil que atravessamos, e em que tantos óptimos profissionais, em muitas áreas, se debatem com dificuldade, ter sido anunciado que o melhor do mundo, em apenas seis anos acumulou a fortuna de 19.000.000 de euros.
É este o nosso mundo!!

MCG disse...

Concordo em absoluto consigo, Poeta. Também a mim este acontecimento nada acrescentou ao meu orgulho em ser Portuguesa.
E mais. Acho incrível que a nossa imprensa apregoe a humildade do rapaz.