quinta-feira, 1 de maio de 2008

Dúvidas existenciais…

Quase ninguém que me conheça sabe da existência deste blogue.
Não é que tenha algo a esconder, mas estou um pouco farta que tudo, ou quase tudo, o que faço tenha de ser do “conhecimento geral”, e em especial da família. É verdade que “nenhum Homem é uma ilha”, mas creio que todos temos necessidade de, em determinados momentos, fechar as fronteiras do nosso território e deixar entrar apenas quem e quando queremos.

Um destes dias, de forma absolutamente casual, fui “apanhada” a editar uma mensagem e, como seria natural, os comentários surgiram logo ali:
Nacional 17, km 14!? Mas que raio é isso? Estrada da Beira… O teu blogue chama-se Estrada da Beira? Que nome mais esquisito!
Então tens um blogue a não dizes nada a ninguém?

Naquele momento senti aquelas palavras com um misto de irritação por ter sido desleixada e ter sido descoberta, inquietação por imaginar o meu canto explorado por elas e culpa por não ter dito nada. Limitei-me a responder que não tinha de dizer tudo aquilo que fazia, o que me pareceu não ter sido lá muito bem compreendido…

Será que é mesmo assim, ou estarei a ver fantasmas?

9 comentários:

Rosa Negra disse...

mcg, só posso falar por mim, que criei um blog para ser o meu diário, que me sinto no direito de guardar esta parte da minha vida longe dos olhos da família e dos amigos. Porque um diário é privado (e escrito às escondidas) ainda ponderei bloqueá-lo (não sei se é o termo técnico correcto), não deixar ninguém ver. Depois pensei que com um nome daqueles não interessava a ninguém, por isso fiquei mais descansada :). Enganei-me, já tenho visitas e comentários, o que começou por ser um pouco assustador, porque nunca escrevi (e continuo a não escrever) para os outros, mas sim para mim. Agora há pessoas que eu nunca vi, que sabem mais da minha vida e dos meus pensamentos do que a minha mãe ou os meus irmãos, e isso é terno e já não assusta, porque ás vezes é mais fácil abrir o coração com alguém que não conhecemos (mais ou menos como ir ao psicanalista).
Se isso te preocupa realmente, o que podes fazer, como ainda é o início, é acabar com este blog e criar um novo, e teres todo o cuidado para não ser apanhada novamente. Como se escrevesses um diário :)
Se levares isto à letra, please, manda-me um mail com o novo blog, gostava de continuar a ler-te e a ouvir as músicas divinais que tens sempre por aqui :)

Rosa Negra disse...

credo, desculpa o testamento :)

PsYcHo_MiNd disse...

Não é esconder ou fazer para que ninguém saiba, mas como no meu caso não achei que deveria de assinar com o meu nome, o blog é assim um sitio onde posso ser o A., o Psycho, os dois ou nenhum. Posso fazer dele o meu mundo, há quem me conheça que sabe da existência do meu blog, mas realmente parece que há pessoas que não percebem o porquê e criticam!

mcg disse...

Rosa Negra
Quando iniciei este blogue sabia que, mais cedo ou mais tarde, os que me são mais próximos iriam saber da sua existência. O que não esperava é que fosse tão cedo!
Tal como tu (e muitos outros que optaram por criar blogues) não escrevo para mais ninguém a não ser para mim mesma e o anonimato que a blogoesfera nos pode proporcionar faz com que vá dizendo coisas que, de outro modo, nunca seriam ouvidas por mais ninguém. Assim, limitar a leitura deste espaço a convidados seria contrariar o que disse anteriormente. Por isso, e porque não tenho nada a esconder, esta Estrada vai continuar aberta a quem nela queira passar. Quando achar que este caminho já não é o meu, então sim, nessa altura procuro um novo rumo e desbravo novos trilhos.

mcg disse...

Psycho
É exactamente isso. Neste espaço virtual podemos ser quem quisermos e dar voz ao(s) nosso(s) alter-ego(s), o que é muitas vezes incompreendido e incomoda algumas pessoas. No meu caso, não posso dizer que esteja a ser criticada. Acho que o que aqui está em causa é o “efeito borboleta”. Eu bati as asas e agora, algures, talvez não muito longe de mim, pode estar a formar-se uma tempestade…

Rosa Negra disse...

Fico contente com a decisão tomada.
Sem medos, venha a tempestade! :)

Viajante disse...

Minha linda,
segue a tua estrada, vai em frente sem olhar para os lados. Estes só servem para distrair o condutor do essencial - chegar ao destino que traçaste ;)

Bjs

mcg disse...

Querido Viajante
Em frente é de facto o caminho, embora de momento conduza sem uma ideia clara do meu destino. Sigo sem GPS, guiada essencialmente pela intuição, e onde esta estrada me vai levar é algo que só o tempo dirá...
Bjo grande

Viajante disse...

O destino é não perderes tempo com o que não te interessa ou como que te pode trazer pouco proveito para o caminho.

Fretes? Não, obrigado, já demos!

bjs